Fluminense mapeia mercado brasileiro e analisa atacantes por reposição

A difícil situação financeira não irá impedir o Fluminense de repor as saídas de jogadores. E a prioridade é o ataque. Depois dos empréstimos de Maranhão (Ponte Preta) e Lucas Fernandes (Atlético-PR) e com a iminente venda de Wellington Silva (Bordeauax, da França), a direção decidiu contratar.

O mercado brasileiro é mapeado, e até dois nomes podem ser trazidos para as Laranjeiras. A ideia é comprar parte dos direitos dos eventuais reforços. O entendimento é de que, além de qualificar o elenco, é preciso ter ativos no clube.

– A gente mapeou todas as posições que podemos eventualmente perder algum atleta. Assim, caso alguém seja negociado, temos opção para repor. Estamos com esse mapeamento bem feito – resume Fernando Veiga, vice de futebol.

Como a janela de transferência do exterior fecha nesta quinta-feira, as contratações serão feitas no mercado brasileiro. E, com o dinheiro de venda, a reposição fica menos difícil de ser concretizada.

– Se aparecer algum negócio que seja realmente interessante, a gente pode fazer. É lógico que, com a venda, temos folga financeira para fazer contratações. Até de porte maior – completa o dirigente.

O ataque titular de Abel Braga é Richarlison e Henrique Dourado. Além deles, as opções para o setor são Marcos Junior, Matheus Alessandro, Patrick Luan, Felipe e Peu.

Fonte: Globo Esporte